LegaBlog

Home / LegaBlog

Branding emocional

O Branding emocional se refere ao uso das emoções geradas por uma marca na criação de um relacionamento com os clientes. 

Para que essa emoção surja, é necessário apelar para as aspirações, necessidades, dores e emoções dos consumidores. 

O Branding emocional se refere ao uso das emoções geradas por uma marca na criação de um relacionamento com os clientes. 

Para que essa emoção surja, é necessário apelar para as aspirações, necessidades, dores e emoções dos consumidores. 

 

Muitas coisas são desejadas pela maioria dos seres humanos, seja para alimentar o ego, o amor ou a segurança emocional, todas essas necessidades são subconscientes mas estão ali e prontas para serem provocadas pelo marketing, que é o responsável por desencadeá-las. 

 

Executar uma série de anúncios emocionais é uma boa maneira de construir esse vínculo emocional. Muitas empresas, inclusive, usam de datas significativas para promover anúncios com essa pegada emocional que atinge em cheio o coração da audiência e depois promove o produto que está sendo vendido. 

 

O segredo deste jogo é equilibrar a conclusão de vendas em curto prazo e a construção de uma conexão emocional a longo prazo. Para isso, a empresa tem que ter uma definição clara de sua marca e contar com diretrizes que determinam a sua identidade.

 

Quais os benefícios de utilizar estratégias de branding emocional?

A impressão que o público forma sobre uma marca é vital para a decisão de compra, entretanto, estudos mostram que é preciso menos de um segundo para causar uma boa impressão. 

Parte do branding emocional é aproveitar essa primeira fração de tempo para que a impressão gerada seja realmente boa. 

 

Podemos nos considerar lógicos, mas muito de como tomamos nossas decisões tem relação com o nosso subconsciente e instintos.

Quando os clientes estão satisfeitos com uma marca os resultados são excelentes para os negócios. Entretanto, quando estão ligados emocionalmente com a marca, eles se tornam ainda mais valiosos. 

 

Além disso, o branding emocional impulsiona a fidelidade, e isso é o resultado de um relacionamento a longo prazo que deu certo.

 

Como devo usar o branding emocional?

O storytelling é fundamental neste processo. 

A narração de uma história é conhecida há muito tempo como uma forte ferramenta de criação de emoções e de fidelidade. Essa estratégia envolve o subconsciente da pessoa e é uma ferramenta capaz de construir conexão emocional facilmente. 

Alguns dos melhores anúncios de branding emocional transportam os espectadores para outras dimensões, onde a história está ocorrendo, e mais do que lembrar o espectador da história, são capazes de fazê-los lembrar das sensações que cultivaram ao longo deste período. 

 

Quando um indivíduo vê uma história que desperta a sua emoção, seu cérebro libera uma dose de dopamina. Esse processo também está ligado à memória. Ele ajuda o público a se lembrar melhor da história.

 

Um dos aspectos mais importantes do storytelling é a confiabilidade. Os consumidores têm que se relacionar com a história de alguma forma que a conexão seja extremamente pessoal. Você tem que fazê-los se relacionar diretamente para que então eles sigam a história e alcancem o apego emocional de que tanto falamos. Se ele se relacionar com a história desde o início, certamente ouvirá a mensagem de marketing e abrirá a oportunidade para que você conte mais sobre os benefícios que sua marca carrega. 

 

No momento de criar seu anúncio reviva algumas questões como: Qual é a visão de sua empresa? Qual a missão dela? O que ela representa? 

Essas questões são parte essencial da construção da história da sua marca.

A vez da News

A Newsletter é um tipo de email informativo com disparos recorrentes que aborda diversos assuntos e geralmente apresenta as últimas notícias e destaques de um período. 

Sendo um dos formatos mais comuns de email marketing, a news é considerada um dos primeiros passos para a promoção de ações nesse canal. 

Continuar lendo

6 tendências para se reinventar após a pandemia

2020 foi marcado pela pandemia que alterou a vida e a rotina de muita gente. Quando falamos sobre o mercado digital, a dúvida que surge é: o que de fato foram as maiores mudanças? Quais serão os próximos passos a partir daqui?

 

As duas questões acima são muito pensadas, considerando o dinamismo e a imprevisibilidade de um mundo globalizado , que que algo que ocorre em uma parte do planeta, pode afetá-lo como um todo. Pensando nisso, percebemos o quão fundamental a comunicação é, ainda mais depois do home office, que se estabeleceu como um modelo de trabalho para grande parte das empresas. 

Continuar lendo